Já estamos no período do ano onde ocorrem os maiores índices de partos nos equinos

É importante ficar atento para previnir e ou intervir a tempo, possíveis problemas que podem acontecer. Após realizado todo protocolo adequado de vacinação (5°, 7°e 9°mês) e vermifugação durante toda gestação (é indicado vermifugar a égua no 10° mês de gestação), é hora de começar a preparar para o parto.

É indicado pelo menos 30 dias que antecedem a previsão do parto, colocar a égua no local onde irá parir, para adaptar ao ambiente e até mesmo começar a produção de anticorpos que estará presente no colostro para imunização do potro.

Estágio 1 do parto – contração e sudorese

O ambiente deve ser limpo, seguro, livre de arames, cercas quebradas ou cercas onde o potro possa passar por baixo e ficar preso afastado da mãe. não ter histórico de animais doentes ou que morreram no local e de preferência com uma forragem adequada. Escolha um lugar tranquilo, silencioso, de fácil acesso e visualização.

O período de gestação varia entre 335 a 365 dias, porém está cada vez mais recorrente éguas que estão passando de 365 dias de gestação. O parto possui três diferentes estágios:

Estágio 2 do parto – posicionamento ideal

1 – No primeiro estágio ocorrem contrações uterinas coordenadas, que pressionam a placenta e a cérvix dilatada. A égua se apresenta inquieta e pode ocorrer presença de suor no pescoço, virilhas e entre as pernas. Esse primeiro estágio termina quando ocorre a ruptura da bolsa (alantocórion) liberando o líquido (fluido alantóide).

2 – No segundo estágio, o potro deve já estar posicionado para sair. A cabeça deve estar entre os dois membros anteriores voltada para a saída da vagina. Embora as éguas sejam aptas a parir em pé, a maioria se posiciona deitada de lado nesse estágio. Podendo também levantar e deitar diversas vezes.

O início da passagem do potro no canal do parto, estimula a liberação do hormônio ocitocina no organismo da égua (reflexo de Ferguson), estimulando contrações uterina e abdominais mais fortes que resultam em uma rápida expulsão do potro. Esse estágio tem uma duração média de 20 a 30 minutos, podendo durar um pouco mais em éguas que nunca pariram e menos em éguas já experientes.

Se notar que as contrações começaram e/ou aumentaram de em 20 a 30 minutos e não tem visualização dos cascos ou do focinho do potro, comunique um médico veterinário com urgência.

Estágio 3 do parto – expulsão da placenta

3 – O terceiro estágio inicia logo após o nascimento do potro. Onde a égua continuará tendo contrações mais leves para expulsar a placenta e fazer a limpeza do útero. Nunca puxe a placenta. A égua deve expulsa-la sozinha dentro de 30 a 90 minutos após o parto.

Se em uma hora após o parto a placenta ainda não foi expulsa por completo, avise imediatamente um médico veterinário de sua confiança para intervir, pois a retenção de placenta em éguas pode causar sérias complicações e até mesmo levar o animal a óbito.

Por Flavia Guerra, Médica Veterinária clínica e de reabilitação de equinos
Porto Feliz/SP | 11 94488-2788
Fotos: Cedidas

Escreva um comentário